O que é

O PTCS é um programa especialmente desenvolvido para o treinamento de agentes de segurança pública e privada ancorado na continuidade e progressividade do treinamento.

Ensinar é algo que exige técnicas, conhecimentos específicos e, principalmente, atenção às expectativas do que se almeja ensinar e aprender. A formação policial é ainda mais específica que a formação adquirida em qualquer outra área, possuindo disciplinas práticas e teóricas próprias e muito específicas. A ação do policial, operador de segurança pública está diretamente ligada a sua preparação, sendo, portanto, ensinando a agir nas mais extremas situações, a manter o equilíbrio emocional e, acima de tudo, a respeitar à vida, fazendo a aplicação correta das leis. Desta forma, os agentes de Segurança Pública recebem instruções com a intenção de existir uma melhora nos padrões de atuação através de uma formação robusta e consolidada, na qual se minimize os erros e abusos no futuro.

 

BENEFÍCIOS DO EMPREGO DA SIMULAÇÃO

Um dos paradigmas que persistem nos administradores é que eles somente levam em consideração o custo da munição usada nos treinamentos.

É comum simplesmente fazer-se uma conta muito simples, onde multiplicam o custo da munição utilizada pela quantidade gasta e como num passe de mágica se obtém o custo da operação, ledo engano! Se esquece, os custos com deslocamento, desgaste de material, etc.

Senão vejamos abaixo, como o emprego da simulação contribui para a eficácia do treinamento e sua economicidade.

  • Economia de recursos financeiros (munição/combustível/ desgaste de material)

    • Quando se realiza treinamentos, particularmente quando envolvemos tiros, nem sempre os locais apropriados estão a nossa disposição em curta distância. Isso acarreta o deslocamento da equipe envolvendo gastos com combustível, desgaste de viaturas, maior número de pessoal.

    • Quando se realiza o tiro real é necessário uma estrutura de pronto socorro em caso de acidentes o que, inexoravelmente envolve pessoal e equipamento, gerando mais custo.

  • Diminuição de riscos (acidentes/incidentes) inerentes à instrução

    • Uma  das máximas de um ambiente de simulação é que armas reais e munição reais jamais podem adentra-las no recinto de simulação.

    • Com isso os riscos de acidentes com disparos acidentais é mitigado ao máximo.

  • Maior eficácia no adestramento

    • O ambiente do simulador por ser controlado e é mais propicio para a correção de posturas e outras técnicas de forma instantânea, coisa que quando realizamos o tiro real envolve alto risco.

  • Busca de maior fidelidade na imitação do combate

    • As tecnologias atuais com o emprego de realidade virtual e inteligência computacional propiciam uma maior imersão do aluno no ambiente de simulação aumentando seu nível de stress e de interação com a situação.

  • Maior número de treinamentos

    • Com a de redução de custos e dos fatores acima elencados consegue-se um maior número de treinamentos.

 

  • Melhoria na eficácia no treinamento real e no operacional

    • A prática periódica e progressiva em ambiente simulado propicia amplos ganhos de desempenho quer seja em treinamento ou em operações reais.

JUSTIFICATIVAS

A necessidade de aprimorar a formação dos quadros dos agentes de Segurança Pública e a manutenção de sua capacidade operacional requer o emprego de modernas técnicas de treinamento.

O aspecto mais importante deste projeto é a criação e um currículo continuado de treinamento envolvendo diversos aspectos operacionais com a elaboração de procedimentos padrões unificando as técnicas e táticas.

OBJETIVOS

Dotar dos agentes de Segurança Pública de modernos instrumentos de treinamento com objetivos macros:

  • Criação e aperfeiçoamento de uma metodologia de treinamento e avaliação constante e única.

  • Aprimoramento do nível operacional.

  • Manutenção da capacidade operacional.

  • Acompanhamento psicológico por meio de dados biométricos.

  • Criação e padronização de procedimentos operacionais.

  • Treinamento periódico e progressivo.

  • Acompanhamento de resultados definindo o estado operacional (pontos fortes e fracos).

  • Nível de Desempenho.

  • Deficiência.

  • Pós combate, etc..

  • Treinamento prático em sequência, quando aplicável.

Exemplos que poderiam ser abordados:

  • Módulo de tiro

    • Posição de tiro

    • Pontaria

    • Tiro instintivo

    • Técnica de progressão

    • Outros julgados necessários

  • Uso da força

    • Uso progressivo

    • Verbalização

    • Postura

    • Gerenciamento de conflitos

    • Tomada de decisão

    • Outros julgados necessários

 

  • Combate em ambiente de pouca luminosidade

  • Abordagem em blitz

  • Uso do spray de pimenta

  • Uso da pistola taser

  • Abordagem a pessoas em atitude suspeita

  • Abordagem a pessoas infratoras da lei

  • Abordagem a veículos

  • Perturbação do sossego público

  • Escalonamento do uso da força policial

  • Abordagem a pessoas infratoras da lei

 

EBTS - Empresa Brasileira de Treinamento e Simulação

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now